Quem sou eu

Minha foto
Paula Teshima é brasileira, tem 33 anos, Mestre em Reiki, Mestre em Karuna Ki e Diversas Técnicas Vibracionais, Terapeuta Holística, Escritora, Colunista do site Horóscopo Virtual (UOL) e do site Somos Todos Um (STUM), Especialista na Espiritualidade dos Animais. É adepta da Espiritualidade Universalista há mais de 7 anos. Autora de 4 livros na área da Espiritualidade e Desenvolvimento Pessoal. Adora os animais, a natureza e práticas meditativas. Criadora dos Blogs - Caminhos da Iluminação e PetEspiritual. Proprietária do Petshop PetEspiritual. Se você quer mudar o mundo, mude primeiro a si mesmo.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

É incrível como as consequências acontecem rapidamente na minha vida...

Outro dia eu estava lendo uns livros que falam sobre a espiritualidade dos animais e tinha um local escrito que é perigoso enviar a nossa energia humana para os animais, especialmente para cães e gatos que são mais sensíveis. Ou seja, a nossa energia é considerada muito forte para eles. Como assim? Eu já enviei energia para minha cachorra e deu tudo certo, nada demais. Aí como fazia tempo que eu não praticava isso, resolvi aplicar uns Reiki para ela. Fiz por um tempo, dois dias seguidos. 

No terceiro dia, logo ao acordar de manhã vi que ela começou a vomitar, várias vezes. Sei que quando ela vomita logo passa. Mas dessa vez não! Ficou praticamente o dia inteiro vomitando, tipo não saia nada, só um líquido meio transparente. Sei que nessas horas não se deve dar comidas e água. Realmente fiquei preocupada. Tentei refletir o que está acontecendo, e pensei que não é possível que seja essa energia que enviei para ela. Foi a única coisa que fiz de diferente esses dias. 

Pensei: mas por que antes não dava problema, e agora deu? Me veio a resposta: é porque cada vez mais eu estou trabalhando minha energia, estudando e me desenvolvendo nesses assuntos espirituais... tipo, talvez agora minha canalização e irradiação de energia esteja mais forte... isso é verdade porque eu aprendi que quando você deixa de usar, isso enfraquece. E todo esse tempo eu venho trabalhando intensamente com isso, então provavelmente essa energia esteja mais forte em mim. Por isso que talvez tenha ido muita energia para minha cachorra, ficou mal... tipo, ou porque minha energia estava tão negativa, ou porque estava uma energia ok, mas só a prejudicou porque foi em muita quantidade... ou seja, tudo em excesso é ruim. Aí essa reação que ela teve de vomitar é o corpo dela tentando eliminar esse excesso... Tudo isso faz muito sentido.

Pensei: talvez esse acontecimento seja também uma espécie de alerta ou confirmação de que o que eu li naquele livro é real! A nossa energia pode ser prejudicial aos animais. E eu não acreditava nisso. 

No segundo dia eu tinha que alimentá-la de alguma forma. Pela primeira vez eu preparei comida humana para dar à ela num potinho. Cara, eu coloquei no chão, ela olhou para mim, tipo estranhando, o que é isso? Será que posso comer mesmo? Tive que falar para ela comer! Aí, lógico, ela comeu tudo. (É que eu criei/eduquei essa cachorra com todos os conhecimentos de adestramento e comportamento animal que adquiri, então, sempre que eu ofereço algo eu peço um comando, e dessa vez eu não pedi, por isso que ela estranhou).

Resultado: eu estava tão certa de que o que ela estava apresentando era consequência da minha ação, e que ela está bem fisicamente, é só o campo energético dela que está tentando se reequilibrar. Ela ficou uns 2 dias vomitando, mas eu realmente tava confiante de que ela iria melhorar sozinha. Eu nem sabia o que fazer, tipo, uma das formas de cura ou ajuda que faço é justamente enviar energia para a pessoas, animais... que estão com problema. Mas nesse caso, olha só, eu não podia fazer isso com ela! Sabe o que eu pensei? Que seria muito bom se eu me afastasse dela nesse momento. Que eu saísse de casa o dia inteiro (o máximo possível)... para que eu não trocasse energia com ela, que eu não enviasse mais minha energia para ela... foi o que eu fiz. Se isso ajudou ou não, não sei. Mas no dia seguinte, ao acordar, vi ela melhor! Não estava mais vomitando e voltou tudo ao normal. 

Dessa experiência tive uma conclusão. Realmente fique meio traumatizada com o que aconteceu e não queria mais enviar energia para ela nunca mais. Mas durante a meditação de hoje tive uma resposta: eu posso e devo enviar energia para ela, mas com equilíbrio! Ou seja, que é para eu enviar por poucos minutos, algumas vezes por semana. Sem exagero tudo funciona ok. E isso é uma das coisas que sei que vim melhorar aqui - fazer tudo de forma equilibrada, sem exagero, sem escassez.

Essa foi uma de várias outras experiências curiosas/interessantes/intrigantes que já presenciei nesta vida.

Para uma pessoa de fora, "normal", que não adquiriu o entendimento do porquê certas coisas acontecem, que não expandiu sua consciência... diante desta situação, vai logo no veterinário, gasta dinheiro, dá medicamentos químicos, perde tempo e ainda fica sem entender o por quê isso aconteceu, ou, se entender, se conformou com uma explicação (equivocada) do veterinário. E o pior de tudo é que, provavelmente, não aprendeu nada com isso, não soube enxergar os ensinamentos ocultos que estão por trás de todo problema.

São Paulo, 27 de setembro de 2017 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Durante a meditação de hoje...

Eu falei que queria me lembrar das vezes em que fui lá no Rancho Alegre ou outro lugar que cuida dos animais, durante meu sono… aí um ser de luz me fez lembrar neste momento mesmo, não esperava isso… vi as imagens de mim lá… era uma fazenda bem aberta, grama verdíssima, tinha só uma árvore grande com tronco grosso, tinham vários cachorros diferentes… eu cuidava deles, tipo eu não precisava alimentar, dar água, banho… porque não precisavam de nada disso, era como se eu fosse a monitora e líder deles, eu recebia vários cachorros novos toda hora, era como se eu fosse a monitora espiritual deles, como um monitor de hotel faz. Recepciona, brinca, conversa… eu me comunicava muito bem com eles mentalmente, nos entendíamos muito bem, por isso que eu fazia isso. Talvez seja por isso também que eu tenho dificuldade em conviver e me comunicar com humanos… pois passei muito tempo fazendo isso… 

A Milu era um desses cachorros que eu cuidava lá… mas ela era uma das minhas especiais, diferente, que eu dava mais atenção, acho que porque estava doente, não sei, só sei que fiz algo muito bom para ela, ajudei muito… então, ao encarnar hoje, ela me veio pelo merecimento de tudo o que fiz para ela, agora para ela me ajudar aqui na Terra. E veio ela, não outro ser (animal, cachorro) dos que eu cuidava, porque ela tinha esse merecimento também de vir para mim para eu cuidar dela.

Por isso que eu sempre tive essa vontade de ter vários cachorros em casa, e era com a intenção de cuidar, brincar, se divertir (antigamente)… não queria pensar em alimentar, gastar dinheiro, cuidar da higiene… porque são coisas que eu não fazia lá, e não queria fazer aqui também. 

Então, isso significa que eu me comunico mentalmente com a Milu muito mais do que imagino e tenho ciência. Com as outras cachorras que tive também, mas muito mais com a Milu porque era a que eu já conhecia, tinha afinidade, as outras não conhecia muito bem, talvez eu não cheguei a cuidar delas lá, ou cuidei, mas não dei tanta atenção assim. 

Haviam gatos também que eu cuidava. Tipo, no começo desta vida eu não me interessava por gatos porque minha visão, minha consciência estava bloqueada para o lado espiritual. Só depois que comecei a estudar isso, é como se eu enxergasse algo mais nos gatos, porque agora eu estava ligada nisso, e eles são puramente espirituais, têm essa parte espiritual forte, isso fez com que, indiretamente, eles me chamassem atenção. Em relação aos cavalos também, ano passado, nas olimpíadas, fiquei interessada em ver o hipismo, coisa que nunca antes me interessava, pois fiquei sabendo que os cavalos são seres muito evoluídos também.

Pensei, se eu cuidava desse jeito de animais, por que nesta vida eu não me interessei em fazer isso também? Repetir o que eu fazia lá. Me veio a resposta de que nesta vida meu propósito não era esse, talvez em outras vidas eu realmente fiz um trabalho desse tipo, encarnada, mas hoje, era para eu fazer o que eu fiz, focar em escrever sobre os animais na espiritualidade. Por isso que tenho ainda esse desejo, essa vontade de estar rodeada de animais por perto. Mas hoje tenho outra missão aqui na Terra. Talvez, por isso que eu não lembro desse meu trabalho lá no plano astral, para eu não me influenciar, me lembrar do que eu gostava de fazer, para não desviar do meu propósito desta vida. Entendi. E talvez, por isso que só agora estou tendo essas informações, depois que eu já iniciei esse trabalho, me firmei nisso, me desenvolvi nisso. E agora tenho o direito de ter respostas para me ajudar, me esclarecer, porque eu iria entender e aceitar. 


Me veio a sensação de que lá, a Milu, era o cachorro ou a cachorra que eu "dormia" junto com ela, assim como faço hoje. 

(Insight/texto recebido por Paula Teshima) 
São Paulo, 26 de setembro de 2017 

domingo, 24 de setembro de 2017

Você Não Quer Mais...

Você não quer mais assistir filmes de suspense, de ação, de guerra?
Você não quer mais assistir novelas?
Você não quer mais ficar perto de pessoas ignorantes, que não estão despertas para a realidade espiritual?
Você não quer mais ingerir nenhum tipo de carne?
Você não quer mais ir a lugares tumultuados - shows, estádios, baladas… ?
Você não quer mais assistir aos noticiários de tragédias, mortes, acidentes… ?

Então...

Você decidiu se tornar uma pessoa super espiritualizada, certinha, vegetariana…
Você decidiu focar no bem, no belo, no certo, no positivo…
Você decidiu fazer cursos, ler livros, assistir palestras, meditar…

Mas…

Exagerou na conta…
Desequilibrou-se…
Esqueceu-se da matéria…

Esqueceu que você está aqui para ter experiências materiais
Esqueceu que você precisa fazer sua reforma íntima
Esqueceu que você precisa da matéria para aflorar o que precisa curar
Esqueceu que o seu corpo emite chamados a todo instante
Esqueceu que a vida flui normalmente somente quando você estiver equilibrado
Esqueceu que não basta meditar, pedir ou orar
Esqueceu que você precisa fazer a sua parte
Esqueceu o que você combinou de fazer nesta vida?

Pergunte-se…

Por que não quero ver isso?
O que vejo nos outros, e que existe em mim também?
Quais sentimentos me vêm a tona?
Por que não quero ver o sofrimento alheio, a pobreza, as injustiças?
Será que a situação é ruim, ou eu que não consigo lidar com isso?

Portanto…

Vigie-se!
Conscientize-se!
Equilibre-se!

Seja 50% Materialista e 50% Espiritualista
Se não conseguir use a regra do 70/30
No máximo, 70% de um lado, e 30% do outro

Afinal, se você quer ficar focado só na luz, o que ainda está fazendo aqui na Terra?

Paula Teshima
www.caminhosdailuminacao.com.br 
blog.petespiritual.com.br

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Ajude os Outros Para ser Ajudado


Você já teve a sensação de que as coisas não estão no lugar... parece que você ou todo mundo está fora do tempo certo... que as coisas parecem que não se encaixam...?

Ultimamente eu tenho recebido algumas mensagens via e-mail ou nos comentários das minhas postagens em redes sociais dizendo que gostariam tanto de me conhecer, que eu sou um exemplo, que gostariam de obter todos esses conhecimentos que compartilho... Fico meio surpresa com esses comentários porque eu não tenho muita noção do quanto que eu sei. Então, eu só fico repassando o que aprendo para ajudar as pessoas. Mas fico muito feliz em saber disso.

Por outro lado, eu penso. Da mesma forma que existem essas pessoas que me admiram, eu também tenho pessoas que eu gostaria de conhecer, absorver os conhecimentos intensamente, me inspirar... e não consigo, não posso ou não é possível (ainda). 

Vem essa sensação de ninguém tem o que quer... mas eu sei que isso existe justamente para que haja essa esperança, essa possiblidade, esse desejo... para as pessoas terem um objetivo, um propósito. 

Pensei: nessa situação, acho que o melhor que eu tenho que fazer é o seguinte. Eu sei que para eu conquistar o que quero, primeiro, tenho que ajudar os outros a conquistarem o que eles querem. Ou seja, de alguma forma, realizar o desejo dessas pessoas de me conhecer, de interagir mais com elas, algo desse tipo. Aí, como merecimento, surgirá a possibilidade de eu conhecer mais as pessoas que realmente desejo. É isso.

São Paulo, 18 de setembro de 2017