Quem sou eu

Minha foto
Paula Teshima é brasileira, tem 33 anos, Mestre em Reiki, Mestre em Karuna Ki e Diversas Técnicas Vibracionais, Terapeuta Holística, Escritora, Colunista do site Horóscopo Virtual (UOL) e do site Somos Todos Um (STUM), Especialista na Espiritualidade dos Animais. É adepta da Espiritualidade Universalista há mais de 7 anos. Autora de 4 livros na área da Espiritualidade e Desenvolvimento Pessoal. Adora os animais, a natureza e práticas meditativas. Criadora dos Blogs - Caminhos da Iluminação e PetEspiritual. Proprietária do Petshop PetEspiritual. Se você quer mudar o mundo, mude primeiro a si mesmo.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Não Precisamos nos Desculpar com nossos Pets

Hoje eu estava tosando minha cachorra e, sem querer, algumas vezes, a tesoura foi em lugar errado e ela chiava... depois fiquei pensando... Eu nem preciso ficar falando para ela: "Desculpas, perdão, foi sem querer..." 

Tipo, numa relação de humanos com animais, especialmente, cães e gatos, não há essa necessidade porque eles nos entendem perfeitamente bem. Ou seja, eles sabem qual é a nossa intenção. Eles captam facilmente através dos sentimentos e emoções. 

Ao contrário de um relacionamento humano - humano, em que ainda temos a habilidade de esconder, disfarçar, enganar o que sentimos... na maioria das vezes, não captamos o que verdadeiramente o outro sente, por isso temos a necessidade de dizer essas palavras. 

Como eu sempre digo - os cães nos conhecem muito mais do que nós a eles. Eles sentem e sabem as nossas intenções... não precisamos falar ou nos expressar fisicamente... eles simplesmente reconhecem...

Paula Teshima

São Paulo, 22 de janeiro de 2018 

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Não Consigo Mais Assistir Certos Filmes de Atores Famosos

Sinceramente, eu não consigo mais assistir certos filmes violentos, de ação, de terror, de guerra... por mais que tenham os atores favoritos que eu curto tanto, eu tento, tento e não rola. Ou seja, desses atores que sou fã (mesmo), sempre tem filmes que eu aprovo e desaprovo, não no sentido de um crítico de cinema, mas no sentido de ver se aquele filme ou seriado vai agregar algum valor para mim, se vou aprender algo... porque senão, perco logo o interesse, pois sinto que estou perdendo tempo... e poderia fazer algo mais útil. É claro que eu também tenho que me esforçar, ver algo novo, me abrir para novas experiências, nunca se sabe... mas tem umas coisas que me proponho a assistir que realmente não dá não. Muitas vezes, a questão não é o filme em si, sou eu que não tolero mais.

Quando eu era mais jovem, quando eu não tinha todos esses conhecimentos incríveis que adquiri sobre a vida ao longos desses 8 anos, eu conseguia assistir qualquer filme... e raramente no final eu falava que não gostava... lembro que eu gostava de todo filme que assistia... talvez porque eu escolhia bem o que assistir porque tinha que pagar por cada filme... e claro, porque eu não tinha essa consciência expandida que tenho hoje... em saber analisar o que está sendo passado, se são coisas que vão me fazer realmente bem ou não. Mas hoje é totalmente diferente... filmes e mais filmes à vontade para escolher e assistir e, por conta dessa grande disponibilidade, o tempo fica escasso, então eu acho que temos que aproveitar cada segundo fazendo escolhas construtivas e edificantes.

Paula Teshima

São Paulo, 22 de janeiro de 2018 
www.paulateshima.com

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Ao Meu Mentor Espiritual...

Eu sei que tem muitas pessoas por aí que não me conhecem direito, o que faço, o que eu penso, o que eu sou... e me veem como uma pessoa quieta, calada, solitária, diferente da maioria... e podem achar que eu tenho tendências negativas sabe... nem quero escrever aquela palavra aqui... 

Mas a questão é que ao longo dos anos eu fui me descobrindo... ou melhor, me entendendo como eu sou, do jeito que eu sou, porque sou assim... 

E o mais curioso disso tudo é que eu não sabia exatamente por que, mas eu sempre me direcionei para atitudes mais positivas ou saudáveis. Ou seja, nunca bebi, nunca fumei, nunca fui para baladas, nunca usei drogas, nunca me envolvi em brigas sérias, nunca me envolvi com atividades mais inferiores do tipo apostas, sacanear os outros, trapacear... nunca voltei tarde para casa... entre outras coisas que muitos jovens costumam fazer. Se senti falta de me divertir com essas coisas? Nem um pouco. Eu me divertia do meu jeito. Você pode pensar que é uma vida de um filho ou filha que todo pai sonharia em ter. Pois é,
para os pais, vendo de fora, tudo bem. Mas e para a filha? Como deve ter sido aguentar a pressão de ser uma adolescente diferente da maioria? Não é fácil. Os outros não te entendem, nem mesmo eu me entendia.

Enfim, aos meus 28 anos de idade, com muito estudo e autoconhecimento eu comecei a me entender. E hoje, eu digo que por conta de merecimento de alma e/ou por saber o quão difícil seria essa vida por ser tão diferente, eu sei e percebo, hoje, claramente, por tudo o que aconteceu, que o mentor espiritual que está encarregado de me ajudar nesta encarnação esteve e está sempre ao meu lado me ajudando, e muito! Antes, quando eu era jovem, quando eu não o contactava, mesmo assim, de alguma forma ele estava me ajudando a ir sempre para o bom caminho... e esse direcionamento se dava muito através de dores e sofrimentos físicos e emocionais. Por exemplo, quantas dores físicas e doenças de adulto me surgiam quando era bem jovem... mas me fizeram a praticar atividade física e ter hábitos alimentares tão saudáveis que se repercutem nos dias atuais... e hoje, eu vejo que a maioria desses problemas eram energéticos e não físicos, porque eu fazia exames e mais exames e não dava em nada. Como se tivesse sido "implantado" para me levar ao caminho do bem.

Acho que os meus primeiros contatos com meu mentor espiritual aconteceram por volta dos 26 anos quando eu estava enfrentando grandes problemas emocionais de relacionamentos. Lembro que foi nos piores momentos em que eu chorava, não sabia o que fazer, que eu tava sofrendo emocionalmente, que vinha uma vozinha na minha mente e me acalmava, me dizia palavras reconfortantes, fazia eu pensar melhor e lidar com a situação. Lembro que acontecia várias vezes isso. Mas eu não sabia o que era isso. Não ficava com medo, nada disso. Gostava muito e aceitava, pois ajudava muito. Acho que eu achava que eram meus pensamentos mesmo. Até que comecei a me interessar pelos estudos de desenvolvimento pessoal e espiritualidade, estudei muito, mas muito mesmo!

Hoje, com essa grande abertura espiritual, sei que essa vozinha que ouço é do meu mentor espiritual, que aparece sim nos momentos ruins, mas também em momentos normais, me dando sugestões, ideias, dicas, coisas que eu nem imaginava, soluções, respostas... 

O legal é que durante as meditações eu envio minha energia para ele, e nesse momento eu sinto meu corpo todo vibrando intensamente... como seu eu tivesse sentindo essa energia que ele está recebendo, porque eu sei que estamos conectados, então eu sinto o que ele sente... 

Enfim, se nesta vida eu tinha a missão de ser exatamente ou parecido como eu sou hoje, e que eu teria um mentor espiritual que iria me ajudar a me tornar assim, cara, eu acho que deu certo. Claro que tem muitas coisas que se repecurtem diante dessa escolha que eu ainda tenho que aprender a lidar. Mas se o propósito foi esse, eu estou feliz. E eu só estou aqui escrevendo isso porque deu certo. Talvez não 100% do planejado, mas tenho certeza que estou no caminho. 

É como se nesta vida em específico, eu e meu mentor espiritual, antes de eu reencarnar, tivéssemos decidido que nesta vida iria acontecer dessa forma para que eu tenha tais aprendizados e crescimentos. E que em outras vidas passadas tenha sido totalmente diferente, ou seja, eu tenha sido um jovem ou uma jovem normal, feito coisas erradas e negativas... e que talvez a única forma de eu me curar desses erros era vindo dessa forma que eu sou hoje. Sei lá. Tipo, fazer a mudança para o lado positivo, na marra, na dor, no sofrimento. Porque somos assim mesmo, só mudamos quando algo nos incomoda muito. Ou talvez não seja nada disso.

Então, eu acredito sim, que eu tenho um mentor espiritual muito "forte" perto de mim, e que talvez eu tenha "aprendido" a ser certinha desde jovem, para que eu ficasse conectada mais no lado positivo ao longo da vida, para que quando eu começasse a despertar o lado espiritual, eu pudesse ouví-lo bem, e fizesse minhas escolhas para o lado do bem. 

Agradeço ao meu mentor espiritual por todos os insights, ideias, respostas, ajudas, conselhos, sugestões, caminhos... por tudo o que já me fez, faz e fará. Eu sei que tem muitas coisas que tenho que resolver em mim, mas também sei que isso é uma forma de exercitar esse poder que há em mim, e aumentar ainda mais a conexão com ele. 

Esse texto é dedicado ao mentor espiritual que me acompanha nesta jornada.

Paula Teshima

São Paulo, 19 de janeiro de 2018

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Amo a Língua Inglesa de Coração!

Estava pensando em relação ao meu inglês, porque tenho essa dificuldade em aprender essa língua se amo tanto! 

Tipo, vejo dois aspectos. 

1. Porque eu tenho dificuldade em falar a própria língua nativa, então, qualquer outra língua fica mais difícil. 

2. Talvez, seja dessa forma mesma que escolhi, com essa dificuldade, para que nessa vida eu não acabe me envolvendo demais com o inglês (que eu sei que amo), e sendo um item favorável para eu sair do Brasil, indo para qualquer outro lugar, especialmente EUA. 

Ou seja, que é para eu focar no Brasil, aqui, porque eu tenho a minha missão a ser realizada aqui. E como eu sei que minha alma ama tanto os EUA, é como se a língua fosse um empecilho para eu ir ou morar lá. Ou então, mesmo estando aqui, assistindo filmes, séries, tv americana, ainda não consigo ter essa abertura total e fácil para o inglês justamente para que eu foque no português, e desenvolva o português ainda mais. 

E também para eu não me distrair com essas coisas que vem em inglês - filmes, séries, celebridades… e esquecer do meu propósito. Mas eu acredito que como eu amo tanto o inglês e talvez em vidas passadas eu tenha vivido lá, se eu forçar esse estudo eu consigo aprender, mas eu não sei, talvez tenha um certo limite, não sei, que não me deixa avançar mais para ficar totalmente expert. Interessante. 

Mas aí pensei, se o inglês não é para eu ficar desviando a minha atenção, e se eu começar a assistir conteúdos dessa área que eu estudo - desenvolvimento pessoal, espiritualidade… em inglês! Tipo, será que não irá me facilitar? Tipo, aprendo inglês junto com o meu propósito. É uma coisa para se experimentar.

Tenho muita certeza de que eu já vivi nos EUA em outras vidas... pois sou muito conectada com a cultura de lá, a língua, coisas de lá me atraem muito... além dos talentos artísticos que possuo... talvez tenha desenvolvido lá... mas nesta vida vim com outras coisas a serem desenvolvidas... então essas paixões ficam para trás... não que eu seja proibida de ir lá... eu posso ir, tipo à passeio, de forma temporária... mas se eu resolvesse morar lá, eu não seria feliz (como eu não imaginava), pois acredito que a minha missão, nesta vida, neste momento, está aqui.

Sei que estou exagerando, me comparando e me cobrando muito do meu nível de inglês. Hoje compreendo, leio, escrevo e falo em torno de 90%. 

São Paulo, 18 de janeiro de 2018 

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Aprendendo Sobre o Céu Terrestre...

Acho que estou aprendendo ou confirmando muitas sabedorias sobre o céu terrestre.

Olhando para o céu após a meditação de hoje:

Entendi por que o céu é límpido lá no interior e na praia, e não na cidade. É porque as pessoas tem contato com a natureza nesses locais, então elas ficam menos carregadas negativamente… portanto, há menos necessidade de chover…

Aí vem a pergunta: mas e quando há períodos de seca em SP, em que há racionamento de água… em que não chove há várias semanas… Bom, nesse caso, pode ser um karma das pessoas que vivem nesses locais, por ex, para aprenderem a valorizar a água ou algo do tipo… mas não quer dizer que as pessoas ficaram menos negativas não. Aí nesses períodos o clima mental e emocional dessas pessoas ficam bem mais intensos negativamente. 

O céu de um local corresponde à população do mesmo local. Se uma pessoa estiver andando de carro por ex, e observar o céu, este é referente àquele local. 

Obviamente as nuvens se deslocam com o vento… e isso também é planejado… cada vento, cada direção, cada tempo, cada posicionamento… as nuvens ficarão e choverão exatamente aonde for preciso… é tudo milimetricamente calculado… nada é por acaso.

Por ex, furacões acontecem em determinados locais por resgate de karmas desta ou de vidas passadas. A pessoa nasce naquele local propenso a isso exatamente para resgatar e pagar esse karma. 

Ao olhar para o céu, vemos regiões mais clara e mais escuras…. Isso significa que em nossas vidas, temos momentos de luz e sombra, e que eles estão tão pertos uns dos outros, que num segundo podemos mudar. Mas isso existe porque existe a lei do equilíbrio, da polaridade. Mas quando vemos o céu completamente azul, sem nuvens, significa que, por um tempo, as pessoas conseguiram se limpar energeticamente… estão mais para o lado da luz… 

Algo me diz que pessoas sensíveis talvez fiquem tensas, negativas, cansadas… quando o local onde estão fica bastante carregado negativamente, principalmente quando isso está no pico. Porque hoje, à tarde, não entendi por que, senti-me muito cansada, sem vontade de nada… sei lá não tinha um motivo forte… aí eu fui deitar um pouco, uns 15 minutos depois começou a trovejar e caiu uma forte chuva… na hora eu tive esse insight… será que era essa energia pesada que eu tava sentindo no ar… tipo, na verdade eu nem dormi, não caí no sono, se foi por influência desse pensamento ou não, me levantei logo depois, me sentindo melhor… também tava um sol lá fora… sei lá. Sabe o que eu posso pensar: talvez porque esses dias eu estou mais conectada e ligada no céu, no tempo, e tal, que “entrei na onda”, na vibração disso, que fiquei muito mais sensível em relação ao tempo, e da forma como acontece ocultamente, que ninguém fica falando e explicando nesse aspecto… sei lá. Vou ficar mais atenta à minha energia, sentimento e sensações em mim, em relação ao tempo lá fora. Nunca fiz essa comparação.

Tipo, as pessoas podem explicar que não dá para ver as estrelas no céu da cidade, por causa da poluição e tal… certamente, mas acredito que não é somente por causa disso. Há essa explicação mais oculta que as pessoas não percebem e pensam.

Cara, se eu ficar o dia todo sem fazer nada… ficarei recebendo tantos insights, informações incríveis e escrevendo aqui o dia todo!

São Paulo, 17 de janeiro de 2018 

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Olhando Para o Céu...

Durante a meditação de hoje:

O mentor espiritual que está encarregado de me ajudar nesta encarnação me disse que ele não pode interferir e mandar nada em mim, apenas aconselhar, dar ideias boas… sou eu que decido o que irei fazer. E se as coisas tem dado certo, se eu estou mais conectado em coisas positivas, não é que ele me ajudou diretamente, mas é porque eu escolhi primeiro o positivo, e virou um ciclo vicioso de positividade, que atrai mais e mais disso. O merecimento é meu. Porque, ultimamente tenho percebido (ou só agora), quantas coisas boas, mas muito boas, tem me acontecido ou aconteceram em minha vida.

Olhando para o céu após a meditação de hoje: 

Se o céu é o reflexo de nós, então significa que quando o céu está escuro, nublado, é porque as pessoas daquela região estão carregadas de energias negativas… aí vem a chuva, que a água ajuda a purificar o ambiente, mesmo se as pessoas ficam dentro de casa, o ar purificado entra nas casas… O relâmpago ocorre como uma luz no meio de tanta escuridão, para dar a luz mesmo, de tão denso que se encontra entre as nuvens… então, pancadas fortes de chuva é sinal de que aquela região está muito negativa… por isso que geralmente de manhã não tem muitas nuvens, ou seja, as pessoas acordam “limpas” e durante os acontecimentos do dia elas vão se carregando negativamente… 

Há regiões que não chovem ou muito pouco… isso significa que as pessoas que moram nesses locais estão exatamente ali para não serem ajudadas nessa limpeza, para continuarem sofrendo com seus problemas… porque não tem o merecimento necessário ainda… o fato de não chover, não é por causa do clima da região… é o local a causa, que são certos tipos de pessoas que necessitam viver sob essas condições, seja para sofrerem mais e realizam a transformação que suas almas pedem, ou por algum karma relacionado à escassez de água mesmo, algum aprendizado desse tipo. 

Olhando para o céu, observando as nuvens, ao me deparar com regiões mais luminosas e outras não, veio o insight: muitas vezes, a solução, a ideia, a oportunidade está logo ao lado, perto de mim, basta expandir um pouquinho a visão, a mente…. Que encontrarei a luz! 

Tipo, são insights que a maioria eu já sei, mas vieram agora exatamente neste momento porque é isso que eu preciso neste momento, usar isso agora. É como se fossem indiretas que me chegam, me avisam, para solucionar as questões da minha vida. Por que não vem direto? Exatamente para que ocorra o aprendizado que preciso! “Não dê o peixe, ensine a pescar” É isso! 

Por que o Brasil tem as estações misturadas? Porque somos um povo que tem que viver tudo ao mesmo tempo agora. Quando as estações são bem definidas, você fica meio que preso, acomodado e acostumado àquela estação. A mudança é menor, em qualquer coisa. Já, aqui, as pessoas precisam estar se adaptando à temperatura a todo momento. Isso cria o estímulo ou a ideia ou a vontade de fazer mudanças, de não ficar sempre na mesma. E isso se refletirá nas outras áreas da vida também. Ou seja, isso ajuda a pessoa a fazer as mudanças que necessita, talvez de uma forma indireta. E como o Brasil é o local, segundo meus estudos, aonde surgirá o novo tipo de ser humano, então o melhor tipo de ser humano tem que surgir daqui, da raça brasileira, que será mais evoluída de que qualquer outra raça do mundo, por isso há tantas transformações, problemas, revoltas... neste país.


Sabe, uma coisa que aprendi com as meditações diárias é que ao fazer todo dia, no mesmo horário, é ótimo para criar um egrégora. O problema é quando algo ocorre em tal dia que você não está nem um pouco afim de meditar. Aí se você for forçado a fazer, não sairá legal, principalmente se for enviar energia. Nesse caso, é melhor nem fazer do que fazer num estado negativo que irá piorar. Mas o que eu recomendo é que eu me prepare minutos ou horas antes para essa prática, para eu estar bem na hora. E se tiver com a cabeça cheia com algo, tipo, desligar um pouco, relaxar… e depois fazer. Mas se você faz logo ao acordar, isso não acontece.

São Paulo, 16 de janeiro de 2018 

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Alinhamento e Estudo

Durante a meditação de hoje:

Tudo o que dá certo em nossa vida é porque estivemos alinhados conosco. Que é o que precisamos fazer nesta vida. Claro que o que não dá certo, nem sempre é porque não é para nós. É preciso analisar cada caso.

Ou seja, em relação aos meus estudos, por que eu não ia bem na escola quando jovem, só depois, é porque não era para eu focar neste tipo de estudo escolar, aprender tanto essas coisas, ou seja, aprender mais ou menos para passar de ano. Talvez se eu fosse uma ótima aluna como agora, eu teria me desviado do propósito real sabe… sei lá… mas como eu vejo, foi quando eu comecei a estudar o que eu realmente precisava estudar nesta encarnação, que a coisa começou a fluir, ou seja, que eu comecei a me dar bem nos estudos, ou um pouco antes disso… então, não é para eu ficar chateada e triste pela dificuldade que eu tive na escola quando jovem… que isso foi necessário para esta vida ser desse jeito… 


Eu realmente tenho um grande poder ou magnetismo pessoal que atrai certas coisas, ou tudo. O problema é se eu não souber usar isso da forma correta irei atrair coisas negativas, problemas, dores, doenças… A solução é saber usar, para isso, basta se instruir, exatamente o que eu fiz (sem saber o porquê), e colocar em prática. Pois é. Estar consciente, não deixar o subconsciente dominar e fazer escolhas certas. Da mesma intensidade com que eu atraio coisas que eu quero, coisas boas e legais, posso atrair coisas tão ruins, então preciso estar o tempo todo me vigiando né. Agora que eu sei como isso funciona, fica mais claro e fácil para lidar com isso a meu favor.

São Paulo, 15 de janeiro de 2018 

domingo, 14 de janeiro de 2018

Quando Fui Morar em Apartamento...

Após a meditação de hoje, eu comecei a olhar para o céu e tive esse insight: 

Talvez tenha acontecido isso: foi quando eu mudei para cá (apartamento) que comecei a me interessar e estudar esses assuntos espirituais… penso que isso pode ter acontecido, não só por causa que era a hora, independente onde eu esteja, mas porque também pode ter favorecido ou facilitado esse tipo de estudo, porque eu penso assim: coisas mais densas e materiais você tem que descarregar lá em baixo, no solo da Terra… é como se enquanto eu estivesse morando numa casa eu estivesse mais conectada com a Terra inferior, aí quando eu me mudei para cá tipo, olha só, aqui é um dos pontos mais altos de SP, e ainda moro no décimo andar… tipo eu vejo as nuvens e o céu bem perto de mim… isso deve ter me facilitado e ajudado muito a me interessar por esses assuntos… aí eu penso, por isso que eu não deveria morar na praia, imagina, lá é o local mais baixo que existe! Penso, por isso que o WB saiu do RJ e veio morar aqui neste bairro? Talvez nem saiba o real motivo disso… acha que foi por conveniência, sei lá… cara aí está a explicação que eu tanto queria! O porquê de eu estar morando aqui! Sempre achei que tinha algo aqui.

Altitude apartamento: 816m + 10 andares (42m) = 858m

Altitude casa: 742m

Diferença: 116m

Praia: 15m



Eu tava vendo uns vídeos de imóveis luxuosos a venda no YouTube quando tive esse insight: sabe por que os dormitórios, numa casa sobrado, ficam na parte de cima, e não embaixo? Porque é para nós nos elevarmos para dormirmos! Nem que seja um pouco. Isso significa que dormir no porão, é uma péssima ideia, provavelmente terá sonhos ruins, ao contrário, do sótão. Isso está relacionado com as energias do ambiente (feng shui). Energias mais densas embaixo, e energias mais sutis em cima. A Terra, a natureza é assim, então, faz sentido copiarmos esse padrão. "Assim na Terra como no céu". Aí pergunto, como fica a energia de casas térreas ou apartamentos? Tem a tendência a ficar toda misturada, no mesmo nível, e tem que tomar mais cuidado para que a energia da sala, por exemplo, não invada os quartos de dormir. Para isso, cuidar da decoração e disposição dos móveis é fundamental. 

Sabe, sempre quis morar na praia... gosto tanto de lá, por que não posso morar lá? Me veio a resposta: podem ser duas possibilidades. Ou porque eu fiz algo de ruim para a natureza em vidas passadas, por isso hoje não mereço desfrutá-la, e também isso é motivo pelo qual estou fazendo esse trabalho com os animais... E/ou porque eu precisava ter esse momento ou despertar espiritual que me ajudaria ou facilitaria eu estando aqui onde estou e não na praia... se for isso, quer dizer que, se eu fizer esse propósito bem e "terminá-lo" o que precisa ser feito, eu teria o merecimento de ir morar na praia... é como se depois que eu tivesse feito aquilo que eu vim fazer nesta vida, agora eu posso ir, neste caso, morar em outros locais, porque eu irei levar meus conhecimentos e experiências aonde quer que eu esteja... 

São Paulo, 14 de janeiro de 2018 

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Coisas Acontecem Para o Meu Bem...

Fui fazer meditação com a vela aromática em formato de flor de lótus que comprei + som relaxante, nossa, foi muito profundo!

De repente começou a vir o que eu estava sentido no momento, tipo em relação a uma celebridade que gosto. Que eu realmente tava sofrendo que é uma pena que eu nunca irei ver ao vivo da forma como ele era, como eu o vejo nos filmes e series que ele fez… e mesmo hoje, é um pouco difícil de vê-lo pessoalmente, estando onde estou… 

Aí me veio uns insights bem bacanas, com respostas…. Vieram várias respostas, tantos entendimentos que tive na hora, que ficou até difícil de lembrar todos… 

Resumindo: não tem como mudar o tempo agora, o que já foi já foi, já aconteceu, não tem volta… encarar o fato de que nunca irei ver o aspecto físico dele naquela época, hoje, isso é impossível… eu creio. Me perguntei, por que eu realmente gosto tanto dele? É seu corpo, sua voz, que ele canta, que é engraçado, faz rir… praticamente isso. Pensei, desses, o que permanece ainda hoje nele? Sua voz, o fato de cantar (se bem que acho que hoje não canta mais as músicas que eu gosto), e que é engraçado. Dessas, o que eu mais gosto mesmo é a sua voz doce… que eu vi que permanece sim. Isso quer dizer que, se depois de velho, com a fisionomia alterada, eu ainda gosto dele, é porque eu gosto da sua personalidade, do seu jeito de ser, e não somente do corpo. Claro que eu gostava do corpo dele, acho que era um incremento a mais para sedução, para gostar ainda mais dele, mas isso é uma coisa que não é para sempre… e isso é exatamente algo que eu vim trabalhar nesta vida, eu creio. Aceitar que as pessoas envelhecem, que não ficam com a mesma fisionomia, que devemos gostar da pessoa da personalidade dela e não tanto do corpo, claro que não é errado admirar um corpo bonito, beleza faz parte da natureza, quem não gosta? Mas saber que o importante não é só isso. Por isso que acredito muito que, pelo fato de eu gostar do N., e conviver com outras pessoas mais velhas durante esta minha vida, que é um aspecto que eu vim trabalhar, entender que eu posso gostar ou continuar gostando quando as pessoas mudam seus corpos. Que beleza não é tudo. 

Perguntei: mas por que eu gosto tanto da voz doce dele? Por que ele? Por que não encontrei outras pessoas que tem esse tipo de voz como ele? A questão é que existem sim por aí pessoas como ele que eu gostaria de ouvir, mas é que eu que não as encontrei por algum motivo, ou porque essas pessoas não são pessoas públicas como ele. Ok, mas por que gosto do som da sua voz? Por que fico tão encantada com sua voz? Porque eu vim nesta vida com minha audição super apurada. Então, eu acabo percebendo e sentindo os sons mais intensamente. Tons mais doces, não sei como diz, tipo uma voz suave, é tudo o que uma pessoa sensível quer… ao contrário de um tom grave. Uma voz suave soa muito bem. E isso eu devo perceber e sentir com muito mais intensidade que uma pessoa com audição normal. Isso me toca bastante. Essa sensibilidade, essa doçura, esse carinho, essa suavidade. Acho que qualquer coisa que é nesse aspecto me atrai. Se isso me atrai significa que eu não os possuo em mim. Ou seja, são coisas que me atrai, que no fundo eu gosto, não tenho ainda, e me ajudam a me inspirar, imitar, para eu adquirir em mim. Entendi. 

Então, acredito que ele, em minha vida atual, é diferente do N., porque com ele eu tenho a visão e admiração de como ele era quando mais jovem, essa adoração, esse corpo… e tenho que aprender a aceitar e lidar com o corpo dele atual. Já, com o N., não tenho essa visão dele de jovem, o que torna as coisas um pouco mais fáceis até. 

Tava pensando, imagina se lá em 1989 (eu tinha 5 anos), eu tivesse mais idade, tipo adolescente, e visse esse sucesso dele do seriado e das músicas dele… tipo nessa época eu não tinha tv a cabo… nem nenhum tipo de gravador… acredito que a única fonte seriam revistas na banca… e olhe lá… ainda mais sendo internacional… se eu ficasse encantada nessa época do jeito que eu fiquei hoje, imagina o meu sofrimento! Principalmente em relação às músicas! Queria ouvir de novo e não conseguia! Dependeria só da tv. O seriado até poderia passar na tv, ok. Sabe, às vezes fico (inconsciente) com pena de que eu não tinha idade suficiente naquela época para acompanhar ele ao vivo, com o sucesso que ele tava tendo… mas olha só que irônico - hoje eu tenho muito mais fontes dele do que naquela época que ele tava atuando! É só o tempo que não se encaixa. Então, pensando bem, se eu tivesse que escolher (talvez eu tenha escolhido!) entre estar ciente naquela época, ou agora, eu escolheria agora! Claro que pode até ser que porque tinha poucas informações e aparições dele, na tv daqui, talvez eu nem teria ficado tão fã dele. Sei lá. Eu só acho que as coisas acontecem do jeito que deve ser, o melhor para mim, e que eu fiz a escolha certa (se eu escolhi).

Uma coisa que eu realmente quero ainda saber muito é: se era ele mesmo que eu o vi lá na Disney. Tipo, naquela época em 2000, eu nem tava aí para ele, nem pensava nele, nada disso. Eu só fui olhar lá, sem querer, e vi “ele”? Eu só queria saber se nesta vida, já existiu essa possibilidade de eu ter estado tão perto dele pessoalmente, só isso. E por que isso ficou tão marcado em mim? Sei lá. Vai ver que eu “sabia” que futuramente (hoje), ele iria me ajudar, inspirar… bastante. Talvez eu nunca saiba, encarnada, talvez venha uma resposta plausível, ou talvez isso não seja importante nesta vida para mim, não sei. Talvez se eu perguntasse diretamente para ele, ele nem se lembre, nem saiba. Mas se realmente era ele, com certeza, tem algo que no futuro (hoje), eu iria me beneficiar, me ajudar de alguma forma, porque nada é por acaso. Tipo, primeira vez que fui para os EUA, entre tantos parques que há, no mesmo local e hora... 

Hoje, o que eu mais quero com ele é: vê-lo ao vivo, ouvir sua voz doce, falando, assistir um show dele ao vivo, tirar foto dele de longe, e foto eu e ele, e seu autógrafo. Mas o principal de todos é assistir show dele, cantando, de preferência com sua voz doce. Nossa, isso é o que eu mais quero no momento. Tipo, tem os vídeos que a esposa faz dele que realmente me agrada muito! 

Tava pensando, por que ele não é do tipo que só tem a voz doce… porque eu fico caçando e pegando as partes que ele faz essa voz doce né. Aí me veio a resposta: porque se ele fizesse ou tivesse só essa voz doce a todo momento, não teria esse contraste, nem valorizaria a voz doce, ou nem perceberia o quão doce que é. E outra, agradeça a voz dele do jeito que é, fazendo diferentes tons, mesmo que eu não aprecie tanto, porque é exatamente por isso que ele tem essa voz doce. Tipo, ele tem essa habilidade vocal de controlar o tom, som… e isso é demais! Porque todo instrumento é assim, não sai apenas um tom. Então isso é uma qualidade incrível que ele tem.


Um outro insight que tive outro dia é que eu sei que existem certas coisas em minha vida que eu fazia ou gostava no passado, dei um tempo, e de repente, depois de muitos anos, vem a lembrança, vejo, ouço, de novo aquilo, faço a mesma coisa que fazia, mas tem certas coisas que não vingam mais, não atraem mais, e outras que os sentimentos voltam tudo a tona como era antes. Ou seja, se não me atrai mais significa que foi resolvido lá atrás naquela época, que era para acontecer lá atrás e deu. Agora, se as emoções voltam à tona significa que por algum motivo parei lá atrás, me distrai com outra coisa, ou sei lá… ou porque naquela época não tinha recursos o suficiente para continuar, ou seja, fiz tudo o que podia fazer até então. Aí é como se ao retornar a essa coisa, eu continuasse de onde parei, mas agora com mais recursos e fontes: outra visão, outros pensamentos, outros sentimentos, outra mentalidade, aspectos diferentes que eu não via ou percebia naquela época que agora eu percebo…. E foi isso que aconteceu com essa celebridade que gosto.

São Paulo, 11 de janeiro de 2018

Encontrei o Portal Mágico...

Acho que foi dia 17 de novembro 2017... lembro que eu saí mais tarde do trabalho para comprar pão de queijo no rei do mate, aí eu olhei para o ambiente a minha volta, tipo, senti um “ar” tão legal, não soube explicar o que era… durante o anoitecer… sei que não costumo sair na rua esse horário para presenciar esse clima… mas aquele dia eu senti algo a mais, com certeza. Só não soube dizer o que eu estava sentindo ou captando de diferente. Gostaria de presenciar mais vezes esse momento nos outros dias, mas ficou esquecido.

Aí hoje, durante a meditação, tive um insight. Tipo, claro que por toda minha vida eu já presenciei o crepúsculo do fim do dia, sempre via isso, mas a diferença é que eu não sentia nada, não ficava “espantada” ou encantada com esse momento. Aí, hoje eu entendi que deve ser por causa dos meus estudos, conhecimentos e sensibilidade aumentada que agora eu estou captando coisas a mais que antes não captava ou que uma pessoa comum também não. 


E fazendo a associação com o portal mágico que ocorre neste momento, putz, caiu a ficha na hora. É como se eu sentisse algo diferente nesse momento, não soubesse o que era, e só depois que eu li o que estava escrito no livro (Segredos de um Antigo Modo de Rezar), em janeiro 2018, que eu vi que tinha algo realmente nesse momento! E cara, tenho meditado nesse momento, tem sido sensacional! Incrível, uma sensação que eu nunca senti meditando antes! Sinto uma profunda meditação, com efeito, com prazer, com vontade… e claro, um bem-estar fantástico. Nunca havia meditado dessa forma, ou melhor, nunca havia sentido numa meditação o que eu sinto agora. Então, tem sido muito bom.

Finalmente encontrei meu momento de meditação, na hora e de um modo em que eu me sinto muito bem. É tão lindo (visualmente) este momento, eu acho.

Obs: Lembro que fazia muito tempo que me recomendaram ler esse livro e não tinha disponível à venda, mas estava anotado na minha lista de leitura. Não foi o livro que me mudou ou ajudou, fui eu que acreditei e decidi colocar em prática o que aprendi.

São Paulo, 11 de janeiro de 2018